frontpage hit counter

BLOG DE ENTRETENIMENTO, FICÇÃO, REFLEXÃO E O QUE MAIS ADIANTE PODERÁ SER VISTO E LIDO (QUEM TIVER PACIÊNCIA...)

Segunda-feira, 24 de Maio de 2010
Mulher engravidou depois de ver filme porno em 3D...

 

 

Um casal branco americano teve um bebé negro e a mulher diz que engravidou depois de assistir a um filme pornográfico em 3D.

O “pai” da criança, o soldado Erick Jhonson, estava há um ano a servir numa base militar no Iraque e, quando voltou para casa encontrou um bebé negro. A sua mulher, Jennifer Stweart, de 38 anos, disse-lhe que a criança tinha sido concebida enquanto ela assistia a um filme porno a 3 dimensões.
– Não vejo porque desconfiar dela. Os filmes em 3 D são muito reais e com a tecnologia de hoje tudo é possível… – disse Erick, que registou a criança como seu filho.
Jennifer afirmou que foi a um cinema pornô com as amigas em Nova York. Disse que não costuma assistir esse tipo de filmes e que só foi dessa vez para ver como ficavam os efeitos 3D. A criança, segundo ela, é parecida com o actor negro do filme.

– Um mês depois de ver o filme comecei a sentir enjoos e o resultado está aqui. Vou processar o cinema e os produtores. Ainda bem que meu marido acreditou em mim. O meu casamento podia estar em risco. Mas ele sabe que eu sou fiel – Disse.

 

Este GI americano se for assistir ao “Como Treinar Um Dragão” em 3D, vem de lá com a roupa chamuscada…

Se se reparar bem o rapazito ainda é parecido com o Anderson, o futebolista do Manchester. Não é?

Se calhar, como ele foi do FC Porto ainda vão dizer que "ali" deve ter andado dedo(?) do Pinto da Costa!......





publicado por Rui Jam às 23:07
link do post | comentar | ver comentários (1)

Segunda-feira, 25 de Maio de 2009
As Reformadas...

Estas duas reformadas e, pelos vistos, grandes amigas (de outros carnavais...), posam para o retrato de recordação que perpetuará a memória delas no imaginário dos habitantes deste planeta.

A da esquerda é a célebre Cicciolina que chegou a encabeçar algumas das listas do Guiness Book of Records. Foi recordista da (chamesmos-lhe assim...) "canalização alargada", o que é obra!...

Evidenciouu-se em áreas  como, por exemplo, o maior número de parceiros sexuais ao mesmo tempo (o que como se percebe, obriga a um rígido protocolo e a uma clara definição de prioridades...).

A outra, a da direita, anuncia-se como "especialista"  de protocolo (entre outras coisas...).

Estão bem uma para a outra.

 



publicado por Rui Jam às 21:59
link do post | comentar

Segunda-feira, 12 de Janeiro de 2009
Um homem percebe se a mulher está a fingir o orgasmo?

O Expresso on line de hoje coloca esta questão aos seus leitores (e leitoras...).

E no entanto a resposta é fácil. É só pôr-lhes um busca-pólos com a ponta encostada ao cerebelo...
Quando elas começam a gemer mais alto,  vamos conferir... Se a resistência acender, temos orgasmo. Se não acender temos encenação.
Quem ensinou isto ao pessoal lá da minha rua foi uma engenheira electrotécnica que "gastava" (fundia-os) nove ou dez busca-pólos por semana!...

Uma vez, por brincadeira e sem ela saber, "ligaram-lhe" uma árvore de natal, daquelas que além das luzinhas também toca o jingle bells.  Bom, a árvore antes de começar a deitar fumo e arder começou a emitir o que parecia ser a resultante de uma mistura dos sons de uma sirene de um carro de bombeiros com um trombone de varas e um solo de bateria do Gene Kruppa.


 



publicado por Rui Jam às 21:26
link do post | comentar

Quinta-feira, 1 de Janeiro de 2009
Cuidado com os advogados...

Para os que precisam de advogados, aqui vai um bom conselho.

 

Al Meihda era um alto funcionário da corte do Rei Faiçal.
Desde há muito tempo
que nutria um desejo incontrolável de chupar os voluptuosos seios da Rainha até se fartar.


Um dia, ele revelou o seu desejo a Caio, principal advogado da região e pediu-lhe que fizesse algo para ajudá-lo. Caio, depois de muito pensar e estudar o assunto, concordou, sob a condição de
que Al Meihda lhe pagasse mil moedas (dinares) de ouro. Al Meihda aceitou o acordo que todavia, não foi formalizado por escrito.
No dia seguinte, Caio preparou um líquido que causava comichões e derramou-o no soutien da Rainha, enquanto esta tomava banho.
A comichão começou e logo aumentou de intensidade, deixando o Rei preocupado e a Rainha desesperada.


A corte fazia consultas a médicos, quando Caio apareceu e disse que apenas uma saliva especial, se aplicada por quatro horas, curaria o mal. Caio também disse que essa saliva só poderia ser encontrada na boca de
Al Meihda.


O Rei Faiçal ficou muito feliz e chamou
Al Meihda que, pelas quatro horas seguintes, se fartou de gozar, chupando à vontade as suculentas e deliciosas mamas da Rainha.
Lambendo, mordendo, apertando e passando a mão, ele fez finalmente o que sempre desejou.

Satisfeito,
Al Meihda encontrou-se no dia seguinte com o advogado Caio. Com o seu desejo plenamente realizado e a sua libido satisfeita, Al Meihda recusou-se a pagar ao advogado (Al Meihda sabia que Caio nunca poderia contar a verdade ao Rei...)
Mas
Al Meihda subestimou o advogado...(e aí é que morava o perigo!...)
 
No dia seguinte, Caio colocou o mesmo líquido nas cuecas do Rei e ....
..... O Rei mandou chamar (de urgência) o
Al Meihda....



publicado por Rui Jam às 21:45
link do post | comentar

Terça-feira, 30 de Dezembro de 2008
As Gajas Boas, a Crise e a “Regra Básica”…

 

 

 

É sabido que para uma gaja boa não há crises…

Já todos vimos em filmes ou lemos em romances estórias de gajas boas em períodos de grandes crises, guerras, invasões, etc.. e elas, se cumprirem a regra básica (já vamos ver qual é), safam-se sempre.

O namorado vai para longe, para a guerra, e a gaja boa começa a circular entre as nossas tropas e os aliados, não lhe faltando nada. Mesmo em tempos de falta generalizada de tudo e mais alguma coisa a gaja não passa nenhuma necessidade e dorme sempre no quentinho…

Se a guerra ou revolução ou invasão ou lá o que for, der para o torto e o inimigo ocupar os terrenos onde a gaja circula, lá a teremos a confraternizar com os militares inimigos, comendo do bom e do melhor, bebendo champanhe, fumando tabaco estrangeiro e usando meias de seda.

Quando, eventualmente, a coisa volta ao princípio e o inimigo acaba por ser escorraçado, lá temos de novo a gaja boa a festejar a “libertação” com as nossas patrióticas tropas e, mais uma vez, a comer do melhor e a beber de colheitas religiosamente  escondidas e guardadas para serem bebidas nestas ocasiões tão importantes.

Mais tarde chega o “noivo”, prisioneiro de guerra finalmente devolvido à liberdade, escanzelado e doente, que fica assarapantado ao vê-la assim tão saudável, tão boa e tão luzidia… Fica logo desconfiado, o nosso regressado herói… E ainda nem teve oportunidade de verificar como ela está “lanceirinha”, como aquele motor de arranque se encontra bem lubrificado e a trabalhar certinho como um motor Rabor (como se dizia antigamente…).

É aqui que entra a tal Regra Básica. Que é só uma e tem de ser impreterivelmente cumprida. E de que é que consta?

É simples: logo que começa a confusão e logo que o “noivo” (ou correlativo) é mobilizado, a gaja boa tem de se pirar de imediato da terrinha onde vive e não pode lá voltar até ao final das hostilidades (nem no Natal!...).

Vai viver  ( e vai viver bem…) para, pelo menos a 200 Km de distância da terrinha (para não correr riscos…)

O cumprimento desta regra impede, por exemplo, que seja vista a confraternizar com a soldadesca aliada ou inimiga, consoante os “timings”, o que lhe poderia render uma carecada, alcatrão na mona e cobertura de penas, no mínimo.

Passemos agora à parte final ( e mais difícil): como explicar ao desconfiado mânfio o bom aspecto, a perfeita rodagem, a cuidada pele e as macias mãozinhas, no meio de tanta desgraça, tanta fome, tantas mãos calejadas, tanta magreza?  

É altura de apelar ao “filme” do convento. A gaja tem então de contar que se refugiou num convento e por lá se encontrava quando o inimigo o invadiu e ela foi sequestrada e posta ao serviço (todo…) do horrível comandante. A gaja deve ser capaz de chorar nesta altura… Então, mesmo não lhe faltando nada, só descansa quando envenena o galfarro e logo a seguir tem de fugir. Por sorte, nesta altura, os inimigos são postos em debandada e ela regressou à terrinha.

Só pode “contar” isto (é a Regra Básica…). Deve demonstrar muito medo que se saiba onde era o convento (pudera!...) mas dirá sempre que é por causa de temer represálias ou até de ter de ir a tribunal por causa do homicídio. Se se esgotarem os argumentos dirá então que com a madre superiora agonizante no seu colo, lhe fez um juramento de guardar silêncio sobre tudo o que diga respeito ao convento, ao que lá se passou e ao veneno utilizado.

Se conseguir manter este “segredo” está safa a gaja boa… E acaba por sair a sorte grande ao desgraçado do enfezado noivo (vendo bem até que merecida…):

no meio da desgraça geral, fica com a gaja boa, ainda por cima bem rodada e a funcionar em beleza, acaba por beneficiar dos bens materiais que a gaja boa acumulou e ninguém lhe vai apontar um dedo, porque ninguém sabe da missa a metade (perdão a centésima parte…).

E aí temos como uma gaja boa passa por uma crise sem “entrar em crise”…

 

 

 

 



publicado por Rui Jam às 00:30
link do post | comentar

Segunda-feira, 29 de Dezembro de 2008
Espirrar pode ser sinal de excitação sexual...

 

Estudo inglês revela que espirrar pode ser sinal de excitação sexual...

Há quem tenha ataques incontroláveis de espirros quando pensa em sexo. Dois médicos britânicos decidiram investigar o fenómeno, que está ligado a uma falha no sistema nervoso. (in: "Expresso on line" de hoje).

E eu a pensar que a minha vizinha estava constipada... Ou que tinha sinusite...

Sempre que passava por mim espirrava!

Agora é tarde, porra!

 


tags: ,

publicado por Rui Jam às 01:01
link do post | comentar

Quarta-feira, 1 de Junho de 2005
Romance...

Romance_01.jpg

A Terezinha foi do Porto a Amsterdão com um grupinho de amigas. Foram na KLM. Depois de uns shots na night, perdeu-se nas ruelas estreitas e, por acaso, "foi encontrada" pelo holandês matulão que a tinha estado a galar a noite toda... Foi uma sorte para o Ruud e para a Terezinha!... Esta foto foi tirada quando regressavam ao hotel da menina e já ao fim da manhã. Tinham estado a "ouvir" a colecção de CDs do Ruud no apartamento dele lá para as bandas do Spiegelkwartier. A Terezinha já está de volta às rotinas: o escritório da companhia de seguros, o café da Praça Velasquez, o namorado, mas... Nunca mais se vai esquecer de Amsterdam!... By the way: Na altura da foto, numa aparelhagem ao longe, o Ray Charles estava a cantar " Georgia of my Mind"... É isso que estão a dançar. Ai Terheaze!!! (of my mind...)


tags: ,

publicado por Rui Jam às 20:06
link do post | comentar

pesquisar
 
Setembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Enviar um e-mail ao autor
Contador de Visitantes
free web counter
web counter
arquivos

Setembro 2014

Agosto 2014

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Novembro 2012

Maio 2012

Junho 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Maio 2010

Abril 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Outubro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

posts recentes

Mulher engravidou depois ...

As Reformadas...

Um homem percebe se a mul...

Cuidado com os advogados....

As Gajas Boas, a Crise e ...

Espirrar pode ser sinal d...

Romance...

tags

todas as tags

links
blogs SAPO
RSS