junho 07, 2005

Os Três Porquinhos (duas versões...)

Os Três Porquinhos
(versão tradicional)

O primeiro porquinho vivia numa casa de colmo feita mal e porcamente por ele próprio. O Lobo Mau soprou com força, a casa foi de vela e o reco teve de se pirar para segundo porquinho’ s home que, mais precavido tinha construído o chalé com madeira. Mas o cabrão do Lobanzão tinha peito e ao terceiro assopro varreu o chalé do mapa. Lá foram os dois leitões a correr para casa do terceiro (e último uff) irmão, esta sim, de alvenaria, tijolo e cimento. Ficaram lá todo o Inverno, cantando e rindo enquanto o Lobozorro depois de bufar que nem uma locomotiva das antigas, contra as paredes, sem resultados, desistia de os comer e mudava (pensa-se) para a dieta mediterrânea.

MORAL: Quem se precavê no verão, garante o sossego no Inverno!

Os Três Porquinhos
(versão pós-moderna - Portugal sec XXI)

Os três porquinhos viviam com a mãe deles numa barraca alugada num bairro clandestino nos arredores do Porto. Sobreviviam do rendimento mínimo de inserção, e dos proventos que a Mãe Porca conseguia a lavar escadas de condomínios.
Um dia apareceu o Lobo Mau e levou Porca à matinée dançante num antigo cinema, numa tarde de domingo. Porca nunca tinha dançado com ninguém que dançasse tão bem. Lobo Mau era especialista no chá-chá-chá e na rumba e no slow apertava Porca como se a quisesse comer (e queria!…). Porca estava nas nuvens. Mal se lembrava já do juramento que tinha feito quando fugiu do pai dos recos, o mal cheiroso, violento e bêbedo Porco Badalhoco.
Nessa noite e a partir daí, Lobo Mau dormiu na Barraca de Porca. Os três porquinhos tiveram de ir dormir dentro da furgoneta do Lobo Mau. Nos bairros degradados uma desgraça nunca vem só!…
Algum tempo depois, Lobo Mau já mandava dois dos leitõezinhos entregar uns pacotinhos com um pó acastanhado a uns senhores “amigos” dele e com instruções rigorosas sobre o recebimento de uns dinheiros que os tais senhores entregavam em troca. Como Porca trabalhava de manhã e de tarde, Lobo Mau ficava sempre com um dos porquinhos a acompanhá-lo. Sentava-o ao colo, viam televisão, brincavam aos médicos, etc. Lobo Mau gostava muito (à maneira dele…) de carne de porco.
Apesar da crise e do défice a vida começou a melhorar para eles.
Porca já não precisava de trabalhar, passava as tardes num ginásio a tentar manter a linha.
Lobo Mau andava de BMW. A barraca tinha sido acrescentada e sofrido melhoramentos.
Os três porquinhos tinham, cada um, a sua moto de alta cilindrada, tinham crescido e engordado. Como único senão, notavam-se os modos um bocado amaricados. Não se pode ter tudo!…
Um dia Porca sofreu uma ligeira entorse quando fazia step no ginásio e regressou mais cedo do que o previsto à barraca. Como já andava desconfiada, entrou pé ante pé e surpreendeu Lobo Mau a comer um dos porquinhos.
Fez um escabeche do outro mundo. Desatou a partir tudo o que havia na barraca e atirar com os bocados à cabeça de Lobo Mau enquanto proferia impropérios e o insultava:
- Filho de uma grande puta, pensas que a minha barraca é a Casa Pia? Ou o “Pedro dos Leitões”? Se querias comer leitão ias à Bairrada, meu cabrão de merda!..
O reboliço aumentou com a chegada dos outros dois porquinhos que aproveitaram a ocasião para contar a todo o bairro as malfeitorias que Lobo Mau lhes tinha feito. Porca passou-se de todo. Agarrou na caçadeira de canos cerrados que Lobo Mau guardava atrás do frigorífico e desfechou-lhe dois tiros matando-o instantaneamente.
Á noite, reportagem completíssima abriu o Jornal Nacional da TVI. No final, Manuela Moura Guedes, arregalando os olhos, comentou:
- Ahn! Pois é. O lobo comeu a porca e os três porquinhos!... Que é que se esperava?


MORAL: Quem vê a TVI ouve destas!...

Posted by rrui_jam at junho 7, 2005 06:18 PM
Comments
História muito fixe, Alma "Panada"!!! Posso dar uma alternativa para o comentário, da "competentíssima" (até custa dizer...) MMG? Pelo sim, pelo não, cá vai: - Ahh! Pois é! Ô Lôbô Mááúúú, para além de ter comido, vejam lá, a porca e os três porquinhos, ainda se fodeu!!! Ahh!! Ganda Man!!! Posted by: CASTOR at junho 7, 2005 07:53 PM
comentário MMG versãoII:" E foi assim que em vez do Triunfo dos Porcos, tivemos O Triunfo da Poooorca " Posted by: O Paciente Português at junho 7, 2005 11:22 PM
Comentário









Lembrar-se de mim?